castanhas

Castanhas, quentes e boas!

As castanhas foram durante muito tempo um patinho feio na cozinha portuguesa.

São ricas em nutrientes e o seu consumo está especialmente indicado para pessoas ativas e desportistas.

A sua composição nutricional é mais semelhante à dos cereais do que à dos frutos secos. Contudo pertencem a esta família e são um dos frutos secos com mais hidratos de carbono e menos quantidade de gordura.

Apresentam elevado teor de água e potássio, mas são pobres em sódio. Contêm substâncias alcalinizantes que neutralizam o excesso de ácidos no sangue e facilitam a sua eliminação através da urina. Esta propriedade é extremamente útil para quem tem excesso de ácido úrico e para pessoas que comem carnes vermelhas com frequência. Para além disso, têm vitamina A, B e E, cálcio, fósforo, ferro e folatos. Não têm gluten.

Não se devem comer castanhas cruas devido aos seus elevados índices de ácido tânico. Assim, devem ser cozinhadas de forma a evitar desconforto digestivo.

As castanhas podem ser cozidas, usadas em sopas, em puré, assadas e até cristalizadas. Em muitas receitas, podem substituir as batatas e, inclusivamente, a massa. Combinam particularmente bem com batata-doce, cenoura, cogumelos, couves-de-bruxelas, e couve. São excelentes quer para pratos doces como salgados.
A cozinha italiana, nos últimos tempos, tem feito um esforço para voltar a usar a castanha, tal como no passado, seguindo a moda de redescobrir os pratos tradicionais.

Devem ser conservadas num local fresco e seco, resguardado da luz, sem recorrer ao uso de um saco de plástico pois facilmente se estragam.

 

Partilha este artigo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin